Eletrônica Silveira
Olá, Seja Bem-Vindo ao Fórum Eletrônica Silveira!!!!
Para você poder ver os mais variados Projetos do nosso Fórum, você precisa fazer o cadastro!

Depois de se Cadastrar, não se esqueça de ler as regras do fórum!

http://eletronicasilveira.forumeiros.com/t3-regras-do-forum#3


Administrador do Fórum,
Rafael Silveira
HOMENAGEM

Na vida tudo passa tudo acontece mas alguém igual a você a gente jamais esquece




★ 22 de novembro de 1991

† 12 de março de 2016

Nosso eterno amigo, administrador e fundador deste fórum
Quem está conectado
55 usuários online :: 16 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 39 Visitantes :: 2 Motores de busca

Ademir, alexsandro rodrigues de a, ARIELSONxD, caboaugusto, chaves_paulo, dionatanquadros, EdyGuitar, euripedes t matos, evilasiomarlene, jocelino, maxerox281169, Nisito BH-MG, Paulo Vieira, phissico, Self-design, wandows

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 264 em Seg 18 Mar 2013 - 11:54
Últimos assuntos
Eletrônica Perez
CM Eletrônica
Top dos mais postadores
Rafael Silveira (7816)
 
Caca Silva (5939)
 
renatoscp (3821)
 
CMeletronica (3102)
 
michel chagas (2791)
 
Railson (2118)
 
alexsandro rodrigues de a (1772)
 
naldo santos (1599)
 
ablacon64 (1220)
 
gilvantexas (1061)
 

Medidor de Velocidade

Publicidade

Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por Anderson M em Sex 14 Mar 2014 - 0:50

Se você já está usando um trafo de ferro 60Hz, que por si só já possui certas perdas de potência em calor, usar mais outro conversor ainda mais DC/DC em 12V alta corrente só aumenta mais ainda as perdas, além de aumentar a complexabilidade do circuito, o que não é bom.

Quando se usa um trafo de ferro 60Hz, este controle é feito diretamente no oscilador:
A tensão de saída do trafo é calculada para conseguir atingir um valor alto estando o inversor em malha aberta. Em seguida faz ele operar em malha fechada.
Ocorre que apenas controlando a amplitude do sinal senoidal do oscilador, já controla a tensão de saída, estabilizando o circuito totalmente.

Veja este projeto:
http://la2i.com/meel/gilson07nobreak.pdf
Os caras utilizaram no projeto tensão de 260V DC na entrada do inversor, para depois em malha fechada fazer os filtros LC abaixarem para 115V.



Salve Albert, parabéns pela explanação no tópico...

Concordo plenamente sobre o efeito do conversor DC - DC em alta corrente, analisando o TCC do autor fiz uma análise no estágio conversor DC - DC da página 55, e comprovar o quanto custa caro, complexo e muitos componentes para converter uma tensão baixa DC em outra tensão elevada em DC. Este TCC custou bem caro, o professor orientador fez o autor fazer alto investimento kkkaaakkkkk. Converter tensão DC elevada é complexo, por esta razão Thomas Edison levou pior contra George Westinghouse na guerra das correntes.

Muito obrigado pelo material, já salvei para estudar mais adiante...  

Voltando, este conversor DC - DC é de baixa corrente, foi acrecentado para obter uma tensão superior de 12V e com baixa corrente para alimentar os A.O LM358N.          

Veja no esquema BETA as modificações feitas em vista do esquema antigo:

Esquema placa de controle:

http://www.4shared.com/office/CniqacpBba/SCHEMATIC.html

Veja o simples conversor DC - DC (baixa corrente)

Composto pelos componentes U2, C1, C2, C3, R1, R2, D1 e D2

Este circuito foi bolado para resolver o problema da deformação no formato de onda no pino 7 saída dos sinais dos U6 e U7.

Estava acontecendo o seguinte, quando o valor de tensão chegava abaixo de 12V nos LM358N, acontecia um achatamento do semi ciclo positivo e negativo da senóide, isso tanto no SCOPE do simulador como também no SCOPE real, isto não estava nada bom, um mau presságio kkkkaaaakkkkk.

Resolvido: Onda senoidal sem achatamento, agora tá perfeita com amplitude de (+9.5V) e (- 9.5V) nas saídas dos U6 e U7.

Note que há medidas de tensões reais feitas na entrada do regulador U4, fiz um teste com uma fonte de bancada, simulando o processo desgate um pouco abaixo da tensão de corte (10.5V) e também em plena carga da bateria (13.8V), e assim registrando os valores obtido no pino 1 do U4, já no pino 3 nem é necessário comentar.  


Não é bem o ganho que define o driver dos mosfets. São as capacitâncias de entrada, veja este mosfet:
http://pdf.datasheetcatalog.com/datasheet/irf/irf3205.pdf

Ciss: (Input Capacitance) = 3247pF

Quer dizer:
O drive terá que ter potência o suficiente para carregar e descarregar este capacitor a por exemplo, 30Khz.
Como a corrente num capacitor tende ao infinito na carga e na descarga, teoricamente, é necessário limitar a corrente de carga e de descarga.
Aí aparece outra especificação do gate do mosfet: A quantidade de energia que o gate suporta. Geralmente descrita em nC (nanocoulomb). Você calcula um resistor que não deixe a energia ultrapassar este limite. E o drive deve também suportar a corrente.

No mosfet que citei de exemplo a carga máxima do gate está em torno de 140nC.



Entendido, fiz uma análise no datasheet no parâmetro do mosfet IRF3205 e sua Ciss (Input Capacitance) = 3247 pF, também fiz uma comparação com o mosfet que acabei adotando pelas suas características para o estágio de potência.

http://pdf.datasheetcatalog.com/datasheet/irf/irf1405.pdf

Onde o Ciss (Input Capacitance) = 5480 pF

Não seria uma má ideia de inserir um circuito driver na placa de potência, até porque se algum transístor de potência entrar em curto não afetaria nada na placa de controle, no máximo só afetaria os U6 e U7, é claro que devemos usar um disjuntor DC para cortar alimentação antes da nuvem de fumaça acontecer.

Pretendo que está placa de potência possa fornecer 1.2 KVA, como se trata de utilizar o inversor para alimentar cargas não lineares que são uma grande maioria kkkkaaaakkkk. Aceito suas sugestões, se você estiver disposto em criar um esquemático deste circuito, você terá os seus merecidos créditos no projeto, não se preocupe com o LAYOUT, pois fico em cargo desta finalidade para todos do fórum.


Distorções da forma de onda se corrige com realimentação negativa.
É igual como num amplificador. O próprio inversor é um amplificador classe D de frequência fixa e baixa (60Hz).


O inversor deve ter ganho em malha aberta bem elevado. Nestes modelos que usam trafo de ferro 60Hz, estando a entrada com 12V, a tensão RMS de saída tem que estar lá em 180V RMS. Isso em malha aberta, lógico. Já em malha fechada a tensão vai cair, ficando em 115V. Isso minimiza a distorção provocada por cargas não lineares, como os retificadores das fontes de PC.
     


Compreendido, você estava se referindo ao processo em malha aberta, por isso os 180 Vrms surgiu no assunto kkkaaakkkk. A proposta é de uma tensão entre 115Vrms e 120 Vrms, claro que devemos levar em consideração os níveis de tensão da bateria, tensão de corte (10.5V), e também em plena carga (13.8V) no caso da bateria do tipo estacionária. E na hora de enrolar o secundário do trafo que gera alta tensão devemos levar isso em consideração nos cálculos para evitar surpresas.


Não era isso que eu me referia.
Eu me referia a tensão do inversor em malha aberta.
Em malha aberta ele deve dar na casa dos 180V rms.
Em malha fechada deve dar 115V.

Seu inversor não opera em malha fechada?
Um inversor operando em malha aberta é igualzinho a um amplificador sem realimentação.
Pode até funcionar beleza sem carga, mais quando pôr a carga não linear a onda vai deixar de ser senoidal rsrsrsrs.



O projeto do inversor opera em malha fechada, entre 115 Vrms e 120 Vrms, vai depender do cálculo na hora de dimensionar o trafo levando em consideração o nível de tensão DC de corte (10.5V) e também o nível em plena carga da bateria estácionária (13.8V).Temos considerar uma tensão de saída com uma margem de 5% tolerância, para as fontes SMPS das cargas conectadas. Para este projeto ser um legítimo UPS seria necessário adicionar mais lógica ao MCU e adicionar outros circuitos externos, isso não seria objetivo do tópico.

O máximo que posso adicionar ainda, seria dois LEDs indicatívos executando BLINK nos PORTs para informar ao usuário o estado da bateria, isso seria através da amostra (Vref) da linha 12V utilizando um divisor de tensão, logo em seguida enviando esta (Vref) ao MCU, daí é só adicionar instruções ao algorítimo para executar estas tarefas complementares nos PORTs onde os LEDs serão conectados.

Veja o esquema atualizado e faça uma análise das modificações feitas para solução de estabilidade do oscilador senoidal.

Quero terminar isso logo para acrescentar os LEDs e assim começar o roteamento do LAYOUT para os companheiros Very Happy

Sds Anderson M
avatar
Anderson M
Avançado
Avançado

Mensagens : 401
Data de inscrição : 07/07/2011
Localização : São Paulo/SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sex 14 Mar 2014 - 10:59

O link informado está ruim
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sex 14 Mar 2014 - 14:04

Deixa eu ver se entendi?

Saí do pino pino 9 do microcontrolador um PWM que gera a senoide.

Antes de passar pelos filtros passa baixa, o sinal PWM passa por portas inversoras que defasam o PWM em 180ºC.

Logo após passar pelos filtros, estes últimos extraem o conteúdo harmônico do sinal deixando só a fundamental senoidal.

Estas duas fundamentais 60Hz defasadas em 180ºc é então amplificadas por um amplificador não inversor (LM358N) e depois ganham um reforço de corrente com um amplificador seguidor de tensão (LM358N também) que apesar de ter ganho igual a 1, possui entrada de alta impedância e saída de baixa impedância, dando assim uma potência no sinal.

Correto?
Entendi que a amplitude do sinal PWM é controlada diretamente pelo microcontrolador, correto?

Muito bom.
Faltou você colocar o esquema do modulador.
Vai usar modulação unipolar ou bipolar?

Com duas senoides bases defasadas em 180ºc pressupõe-se que você irá usar um modulador unipolar rsrsrsr
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sex 14 Mar 2014 - 14:59

Veja no esquema BETA as modificações feitas em vista do esquema antigo:

Esquema placa de controle:

4shared.com /office/CniqacpBba/SCHEMATIC.html

Veja o simples conversor DC - DC (baixa corrente)



Só agora entendi o que você está fazendo kkkkk
Olhando o esquema interior com um só mosfet, e este agora que gera senoides bases defasadas, foi que fui intender.

Você vai injetar onda senoidal pura diretamente nos mosfets kkkkkk
Não é assim que se faz. Se fizer assim nunca que vai funcionar.
E se funcionar vai ter no máximo uns 60% de rendimento. Perderá 40% em calor kkkkkk

O que você fez ao gerar duas senoides defasadas foi gerar a senoide base.
Estas são as senoides referências e devem ser injetadas em dois moduladores PWM que vão gerar o PWM unipolar de 9Khz que ainda deve entrar num driver de mosfet tal como o CI IR2110, só então os pulsos PWM deverão acionar o gate dos mosfets veja no esquema abaixo:

Os mosfets tem que receberem PWM 9Khz, e não ondas senoidais.
https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t1/1044802_358536180941028_1429827296_n.jpg





Você tem várias opções:

Ou gerar o PWM unipolar diretamente com o microcontrolador, sem precisar de senoide base e através de um driver de mosfets acionar os mosfts com o PWM de 9Khz para formar a senoide diretamente no trafo. Do trafo ainda poderá realimentar no microcontrolador para estabilizar a tensão de saída.

Pode fazer com que o micro só gere a senoide base e um circuito analógico module o PWM, mandando para um driver de mosfet e este acione os mosfets com PWM.

Ou então todo o circuito analógico:
Oscilador analógico e modulador analógico.

Mas nunca que os mosfets vão poder receber senoides.
Os mosfets devem trabalhar com onda retangular PWM 9Khz ou outra freqüência que melhor se adapte ao seu projeto, no entanto que não seja acima de 20Khz para as perdas de comutação não aumentarem.



O filtro passa baixa é formado pela própria indutância de despersão do trafo, onde a colocação de um ou dois capacitores de 10uF na saída do trafo em 115V forma o circuito LC aproveitando-se desta indutância de dispersão.
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sex 14 Mar 2014 - 17:03

Observe este vídeo:


Aos 40 minutos de vídeo o autor exibe um osciloscópio que mostra as seguintes ondas:

Uma onda de cor amarela que a primeira vista parece onda quadrada. Na verdade trata-se de um trem de pulsos PWM operando em alta freqüência que acionam a ponte inversora ful bridge de forma cruzada, em X:
Cada semi-ciclo daquele onda amarela forma um semi-ciclo de onda senoidal.

Ainda na tela do osciloscópio você pode ver claramente pulsos de onda quadrada. Trata-se da onda amarela citada anteriormente, mas ela agora está bem ampliada.

A onda senoidal é de saída do trafo.
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sex 14 Mar 2014 - 18:16

Corrente no primário e tensão de saída:

avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sex 14 Mar 2014 - 18:19

Distorção causada por carga não linear estando o circuito em malha fechada:

avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por josue coimbra em Sab 15 Mar 2014 - 10:52

Boa tarde albert e anderson, me perdoem se estiver falando besteira, como andersom usa o 358 pra da uma melhorada na senoide do pic , porque não amplificar o pwm que sai direto do pic sem passar pelos filtros?
avatar
josue coimbra
Nível 1
Nível 1

Mensagens : 38
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 38
Localização : Campos RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por josue coimbra em Sab 15 Mar 2014 - 10:57

Por favor deem uma olhada neste link....

http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/artigos/54-dicas/2054-art317.html
avatar
josue coimbra
Nível 1
Nível 1

Mensagens : 38
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 38
Localização : Campos RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sab 15 Mar 2014 - 12:39

josue coimbra escreveu:Boa tarde albert e anderson, me perdoem se estiver falando besteira, como andersom usa o 358 pra da uma melhorada na senoide do pic , porque não amplificar o pwm que sai direto do pic sem passar pelos filtros?

Boa tarde josue coimbra.

A ideia é justamente esta:
Mandar o PWM para os Mosfets sem passar pelos filtros.

O circuito correto para fazer isso é um driver de mosfets, veja como ele é:


Este CI TLP250 inclusive é um dos melhores drivers que se pode ter para esta finalidade.
É isolado e garante o acionamento perfeito do mosfet.

avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sab 15 Mar 2014 - 12:46

josue coimbra escreveu:Por favor deem uma olhada neste link....

http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/artigos/54-dicas/2054-art317.html

A explicação é perfeita. Esta modulação usada em amplificadores de áudio também poderia ser usada aqui no inversor.

Trata-se de modulação Bipolar.
Chama-se assim pois as tensões dos pulsos PWM atingem dois valores:
Um valor positivo.
Um valor negativo.

Veja:



Contudo para inversores que utilizam trafos de ferro 60Hz é mais prático e mais eficiente a modulação Unipolar.
É camada assim pois os pulsos PWM só atingem um único valor:

Veja:
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por josue coimbra em Sab 15 Mar 2014 - 13:25

Hum!
avatar
josue coimbra
Nível 1
Nível 1

Mensagens : 38
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 38
Localização : Campos RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por josue coimbra em Sab 15 Mar 2014 - 13:36

Albert, me tire uma duvida se mandar o pwm para os mosfets sairia uma onda quadrada , teria como usar o filtro para senoidal entre os mosfets e o trafo?
avatar
josue coimbra
Nível 1
Nível 1

Mensagens : 38
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 38
Localização : Campos RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sab 15 Mar 2014 - 15:08

josue coimbra escreveu:Albert, me tire uma duvida se mandar o pwm para os mosfets sairia uma onda quadrada , teria como usar o filtro para senoidal entre os mosfets e o trafo?

Se o que você enviar para o primário do trafo for um PWM assim, com freqüência de 9Khz para caca semi-ciclo deste, e ainda na saída 115Vac do trafo você colocar um capacitor de 10uF por 250V daqueles de ventiladores, o que sairá do trafo será uma senoide pura.





avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por josue coimbra em Sab 15 Mar 2014 - 16:13

Albert como disse anteriormente , montei um com sg3524 e regulei para 60 hz e 2000Wtts, será que colocando esse capacitor eu teria a onda senoidal?ou precisa fazer algum calculo para o capacitor ou pode ser esse de 10 uF?
avatar
josue coimbra
Nível 1
Nível 1

Mensagens : 38
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 38
Localização : Campos RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sab 15 Mar 2014 - 16:32

josue coimbra escreveu:Albert como disse anteriormente , montei um com sg3524 e regulei para 60 hz e 2000Wtts, será que colocando esse capacitor eu teria a onda senoidal?ou  precisa fazer algum calculo para o capacitor ou pode ser esse de 10 uF?

Dá sim com um circuito ressonante.
Porém é um tipo de inversor que a forma da onda distorce muito com cargas não lineares.
Talvez seja mais adequado para alimentar motores AC de indução e lâmpadas incandescentes.

O que ocorre é que o circuito ressonante transforma a onda retangular PWM em senoidal pois filtra todas as componentes harmônicas. da onda, mas não "tem força" para manter aquele onda liza.

Os circuitos eletrônicos os transistores aumentam a potência para corrigir as deformações da onda. Quem se encarrega disto é a Malha fechada: Realimentação negativa. A mesma que é usada em amplificadores de áudio.

Já no circuito ressoante basta que a corrente não seja senoidal, como em retificadores por exemplo, que a onda logo distorce bastante.

O último vídeo que postei aqui mostra isso. Mesmo o circuito eletrônico com realimentação negativa e bastante ganho não dá conta por completo. É possível observar uma leve distorção por causa da carga não linear. Imagine um circuito ressoante que não possui realimentação e nem ganho?
Veja novamente:
http://www.youtube.com/watch?v=LpsuAKvXX2o

Basicamente para você fazer um filtro destes, que transforma retangular PWM em senoide, você teria que colocar um elemento de corrente constante na malha positiva que alimenta o trafo. Este elemento de corrente constante é um indutor.
Depois você calcula um banco de capacitores AC para fazer com que a bobina secundária ressone.

O ideal seria você ter uma bobina de alta tensão no trafo apenas para o circuito tanque (LC) pois assim com a tensão mais elevada precisaria de menos capacitância.
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Sab 15 Mar 2014 - 18:29

SISTEMA DE ACIONAMENTO DE UMA MOTOBOMBA
VIBRATÓRIA SUBMERSA ALIMENTADO POR ENERGIA
SOLAR FOTOVOLTAICA


Inversor push-pull paralelo ressonante

Esta topologia, proposta, é baseada na topologia push-pull clássica e caracteriza-se
por usar um transformador com tap-central no lado primário. O circuito do inversor pushpull paralelo ressonante é mostrado na Fig. 1.5. Este conversor é alimentado diretamente por um banco de baterias e utiliza apenas dois interruptores do tipo mosfet. O banco de baterias é então carregado pelos painéis solares através de um carregador adequado. O transformador realiza a isolação galvânica e adapta a tensão de saída ao valor nominal da bomba. Seu estágio de entrada possui uma característica de fonte de corrente pela presença do indutor Lin e no lado secundário é adicionado um capacitor Cr em paralelo com a carga, o que torna a tensão de saída ressonante. Este capacitor é também responsável pelo processamento da energia reativa da motobomba, que está representada pelo seu modelo elétrico equivalente.

Fig. 1.5 – Circuito inversor push-pull paralelo ressonante.

O circuito de comando dos interruptores é do tipo auto-oscilante extremamente simples e pode ser visto na Fig. 1.6. Ao transformador adicionam-se dois enrolamentos auxiliares aux1 e aux2 que são ligados diretamente aos resistores de gatilho dos interruptores. Os diodos zener z1 e z2 são responsáveis pelo grampeamento da tensão de gatilho no limite máximo especificado.


Fig. 1.6 – Detalhe do circuito de comando auto-oscilante.

Na partida, ocorre o carregamento das capacitâncias do mosfet pela fonte de alimentação até a tensão de gatilho atingir o valor necessário para o disparo, iniciando assim a oscilação. As tensões nos enrolamentos auxiliares são defasadas de 180º e proporcionais à tensão de saída do conversor. A comutação dos interruptores ocorre na passagem por zero da tensão de saída. Os enrolamentos são projetados para fornecerem uma tensão superior ao limite especificado pelo fabricante garantindo a condução dos interruptores. Considerando os componentes ideais, o princípio de funcionamento do conversor pode ser descrito em duas etapas de operação:

Primeira etapa: - Condução de S2 (t1 – t0)
Nesta etapa S2 é comandado a conduzir enquanto que S1 é comandado a bloquear,
assim, a corrente de entrada Iin passa a circular por S2. A comutação dos interruptores é suave. A tensão sobre S1 passa a crescer senoidalmente devido à ressonância entre Cr e Lc. Segunda etapa: - Condução de S1 (t2 – t1).
Nesta etapa a tensão em S1 se anula e S2 é bloqueado e S1 é comandado a conduzir
assumindo a corrente de entrada. Esta etapa termina quando a tensão sobre S2 se anula e a primeira etapa se repete. As formas de onda experimental da tensão e da corrente na motobomba e no interruptor S1 são mostradas na fig. 1.7 e na Fig. 1.8 respectivamente. Em ambas as etapas o conversor opera em regime permanente.





O capacitor é um elemento fundamental para o correto funcionamento desta topologia,
sendo responsável pela ressonância do circuito e seu valor depende diretamente dos
parâmetros da bomba (Rc e Lc) e do transformador, podendo ser calculado pela equação (1.3).



(1.3) Onde
Leq Indutância paralela equivalente entre a indutância da bomba e a
indutância magnetizante do enrolamento secundário do transformador;
wd Freqüência de ressonância amortecida.

Portanto, para cada modelo de bomba deve-se calcular o valor adequado para o
capacitor Cr. Logo, isto pode ser visto como uma desvantagem desta topologia, se caso for empregada para fins comerciais.

Apesar de se utilizar apenas dois interruptores comandados em baixa freqüência, o
rendimento obtido com esta topologia é de aproximadamente 85%, sendo o transformador a principal fonte de perdas.


A utilização de baterias faz com que haja a necessidade de
manutenções periódicas em função da vida útil das baterias, além da necessidade de um
circuito carregador de baterias. O circuito de controle utilizado para o comando dos
interruptores no inversor não prevê nenhuma atuação sobre o ripple de corrente drenada das baterias, o que torna sua vida útil ainda menor. Por outro lado este conversor entrega à carga uma tensão senoidal, com pouca distorção, e apresenta comutação suave nos interruptores.

Fonte:
http://www.gpec.ufc.br/inicio/trabalhos/SISTEMA%20DE%20ACIONAMENTO%20DE%20UMA%20MOTOBOMBA.pdf
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por josue coimbra em Sab 15 Mar 2014 - 23:20

É uma boa , o problema é o cálculo que tem que fazer para cada bomba?
avatar
josue coimbra
Nível 1
Nível 1

Mensagens : 38
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 38
Localização : Campos RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por Anderson M em Dom 16 Mar 2014 - 11:40

albert_emule escreveu:Deixa eu ver se entendi?

Saí do pino pino 9 do microcontrolador um PWM que gera a senoide.

Antes de passar pelos filtros passa baixa, o sinal PWM passa por portas inversoras que defasam o PWM em 180ºC.

Logo após passar pelos filtros, estes últimos extraem o conteúdo harmônico do sinal deixando só a fundamental senoidal.

Estas duas fundamentais 60Hz defasadas em 180ºc é então amplificadas por um amplificador não inversor (LM358N) e depois ganham um reforço de corrente com um amplificador seguidor de tensão (LM358N também) que apesar de ter ganho igual a 1, possui entrada de alta impedância e saída de baixa impedância, dando assim uma potência no sinal.

Correto?
Entendi que a amplitude do sinal PWM é controlada diretamente pelo microcontrolador, correto?

Muito bom.
Faltou você colocar o esquema do modulador.
Vai usar modulação unipolar ou bipolar?

Com duas senoides bases defasadas em 180ºc pressupõe-se que você irá usar um modulador unipolar rsrsrsr

Sim, esta amplitude do sinal senoidal é limitada no MCU, não por eu determinar isto via programação, mas é por causa do limite do próprio por fornecer tensão de no máximo 5 DCV e receber também nos PORTs. Um outro detalhe é manter o mínimo de consumo de corrente na execução de tarefas externas. Para dar um ganho na amplitude do sinal somente é possível com circuitos externos dedicados como no teste onde fiz utilização do LM358N, que por sinal é um excelente C.I para criação de pré amplificadores de áudio.

Os circuitos do oscilador de sinal onda triangular que será sinal da portadora e modulador foram iniciado os trabalhos ontem, ainda esta semana estes dois circuitos são elaborado e testado.

Estou na dúvida quanto em usar bipolar ou unipolar, estudei um datasheet de um C.I para função de modulador, acabei adotando, com ele é possível trabalhar com ambas, basta apenas eu decidir qual delas.

albert_emule escreveu:Veja no esquema BETA as modificações feitas em vista do esquema antigo:

Esquema placa de controle:

4shared.com /office/CniqacpBba/SCHEMATIC.html

Veja o simples conversor DC - DC (baixa corrente)



Só agora entendi o que você está fazendo kkkkk
Olhando o esquema interior com um só mosfet, e este agora que gera senoides bases defasadas, foi que fui intender.

Você vai injetar onda senoidal pura diretamente nos mosfets kkkkkk
Não é assim que se faz. Se fizer assim nunca que vai funcionar.
E se funcionar vai ter no máximo uns 60% de rendimento. Perderá 40% em calor kkkkkk

O que você fez ao gerar duas senoides defasadas foi gerar a senoide base.
Estas são as senoides referências e devem ser injetadas em dois moduladores PWM que vão gerar o PWM unipolar de 9Khz que ainda deve entrar num driver de mosfet tal como o CI IR2110, só então os pulsos PWM deverão acionar o gate dos mosfets veja no esquema abaixo:

Os mosfets tem que receberem PWM 9Khz, e não ondas senoidais.
https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t1/1044802_358536180941028_1429827296_n.jpg





Você tem várias opções:

Ou gerar o PWM unipolar diretamente com o microcontrolador, sem precisar de senoide base e através de um driver de mosfets acionar os mosfts com o PWM de 9Khz para formar a senoide diretamente no trafo. Do trafo ainda poderá realimentar no microcontrolador para estabilizar a tensão de saída.

Pode fazer com que o micro só gere a senoide base e um circuito analógico module o PWM, mandando para um driver de mosfet e este acione os mosfets com PWM.

Ou então todo o circuito analógico:
Oscilador analógico e modulador analógico.

Mas nunca que os mosfets vão poder receber senoides.
Os mosfets devem trabalhar com onda retangular PWM 9Khz ou outra freqüência que melhor se adapte ao seu projeto, no entanto que não seja acima de 20Khz para as perdas de comutação não aumentarem.



O filtro passa baixa é formado pela própria indutância de despersão do trafo, onde a colocação de um ou dois capacitores de 10uF na saída do trafo em 115V forma o circuito LC aproveitando-se desta indutância de dispersão.

Não vou enviar esta onda senoidal direta não, vou mesclar junto com uma onda triangular de 10 Khz criado com um oscilador analógico, e assim enviar ao modulador para formação do PWM senoidal.


albert_emule escreveu:Observe este vídeo:


Aos 40 minutos de vídeo o autor exibe um osciloscópio que mostra as seguintes ondas:

Uma onda de cor amarela que a primeira vista parece onda quadrada. Na verdade trata-se de um trem de pulsos PWM operando em alta freqüência que acionam a ponte inversora ful bridge de forma cruzada, em X:
Cada semi-ciclo daquele onda amarela forma um semi-ciclo de onda senoidal.

Ainda na tela do osciloscópio você pode ver claramente pulsos de onda quadrada. Trata-se da onda amarela citada anteriormente, mas ela agora está bem ampliada.

A onda senoidal é de saída do trafo.

Eu assisti os vídeos de ensaio do UPS. O louco meu, este UPS ficou com as placas de controle e potência enorme kkkaaaakkk. O que eu pretendo finalizar em breve é bem compacto Very Happy.
avatar
Anderson M
Avançado
Avançado

Mensagens : 401
Data de inscrição : 07/07/2011
Localização : São Paulo/SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por Anderson M em Dom 16 Mar 2014 - 12:11

josue coimbra escreveu:Boa tarde albert e anderson, me perdoem se estiver falando besteira, como andersom usa o 358 pra da uma melhorada na senoide do pic , porque não amplificar o pwm que sai direto do pic sem passar pelos filtros?

Que nada irmão, se você nunca perguntar nunca vai saber, o motivo da utilização do integrado LM358N no primeiro esquema BETA não foi para melhorar o sinal senoidal, pois o mesmo já é perfeita quando sai do pino 9 do MCU, o sinal que sai do pino 9, não é PWM como muitos podem pensar. Na verdade o sinal é uma onda senoidal no formato digital, pois MCU como todos sabem MCU é uma máquina que só interpreta no formato digital.

Observe que o sinal da onda senoidal ficou no formato analógico com frequência fixa de 60 Hz após o filtro RC, porém com amplitude pequena por motivos de limitação do MCU por trabalhar com 5 DCV em seus PORTs. Para obter um ganho da amplitude é necessário circuito de amplificação externo, por isso que foi utilizado este LM358N .

Portanto: Não há como fazer o sinal amplificado diretamente do MCU Very Happy 

Relaxa, o nosso inversor onda senoidal pura como mel ainda vai sair aqui no fórum...

Abraço...
avatar
Anderson M
Avançado
Avançado

Mensagens : 401
Data de inscrição : 07/07/2011
Localização : São Paulo/SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por Anderson M em Dom 16 Mar 2014 - 12:32

Meu caro Albert, você iluminou meus pensamentos que estava no meio da escuridão, não com um forolete, e sim com um holofote kkkaaakkkk. Bom pena que este MCU que foi adotado por ser mais acessível no mercado e manjado possui apenas um módulo CCP1, caso tivesse o segundo módulo CCP2 seria mais econômico. Estava pensando em gerar o sinal triangular de 10 Khz portador no módulo CCP2, mas como não tem, paciência.

Conclusão:

Se houvesse dois módulos seria posível dois osciladores no próprio MCU.

Módulo CCP1 -> Sinal da moduladora senoidal (60 Hz).
Módulo CCP2 -> Sinal da portadora triangular (10 Khz)                     (comutação dos MOSFETS através dos drivers).  

Assim pegando o sinal moduladora senoidal (60 HZ) e portadora triangular (10 Khz) enviar ao modulador para mixar estes dois sinais é formar o PWM senoidal para comutação dos POWER MOSFETs através do estágio driver.

Diacho kkkaaakkkk, tenho que fazer um oscilador gerador do sinal triangular da portadora no modo analógico, o problema dos montadores do projeto será necessário ajuste manual da frequência de 10Khz no trimpot com auxílio de um frequêncímetro ou osciloscópio, estes instrumentos é algo raro na bancada, espero que pelo menos os amantes da eletrônica possa ter um multímetro com escala de frequência para o único ajuste necesssário do oscilador triangular que será o sinal da portadora.

Voltando, vou citar os circuitos que já temos testado e aprovado...

Sinal de referência senoidal
Gerador de sinal complementar
Tempo morto (Dead Time)

---------------------------------------------------

Falta apenas os circuitos do sinal da portadora e os moduladores...

Vou trabalhar esta semana neste circuitos...

Oscilador de onda triangular - Que será o sinal da portadora para ser enviado ao estágio modulador junto com o sinal senóide base do MCU.  

Vou utilizar o LM567 para criação do sinal da portadora triangular (10 Khz).

Circuito do modulador que será onde esta mágica irá acontecer, fazendo uma mescla dos sinais de referência senoidal puro como mel do MCU e também da portadora triangular, e assim criando o PWM senoidal nas suas saídas.  

Para o estágio do modulador vou utilizar o LM339, que serve para fazer dois moduladores no caso de utilização da técnica (modulação unipolar), isso em um único componente, mas só não estou gostando da ideia de utilizar uma alimentação simétrica por causa que o LM339 entrou na parada kkkaaakkkk. Haverá mudança na alimentação, ou seja, onde era um regulador 12V, agora serão reguladores 7815 e 7915 responsáveis pela alimentação do LM339 e HEF40106BP.

Aquele conversor DC - DC com LM555 fará o trabalho.

Voltando.... Depois do estágio modulador o sinal PWM senoidal segue ao estágio (gerador de sinal complemetar) para defasar os sinais, e também estimar um tempo morto (Dead Time) que é  necessário para garantir que os POWER MOSFETS não conduzem ao mesmo tempo criando situação de curto. O cara que realiza estas duas tarefas é o cujo intregrado HEF 40106BP como está no último esquema PDF postado.  

Caso o método adotado for modulação unipolar, temos que utilizar mais pinos tanto do LM339 como HEF40106BP para temos dois pares de saídas...  

Ah, os (A.O) LM 358N vão sair da jogada...

Obrigado pela participação e suporte...

Sds Anderson M
avatar
Anderson M
Avançado
Avançado

Mensagens : 401
Data de inscrição : 07/07/2011
Localização : São Paulo/SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Dom 16 Mar 2014 - 13:03

Veja esta placa: http://imageshack.com/a/img5/8227/7cqj.png

Utiliza modulação unipolar
Possui um trimpot para ajuste de tensão de saída
Trimpot para ajuste de simetria DC no trafo.
trimpot para ajuste de freqüência de saída
E um trimpote para ajuste de sincronismo.

A placa tem um circuito PLL que sincroniza a senoide do oscilador local com a senoide da rede.

O oscilador local é uma obra de arte:
Um lm555 oscila a uns 20Khz e esta é dividida até se obter 60Hz, 120Hz, 240Hz e 480Hz.

Estas então vão para a porta de comando de dois CI 4051.

A saída destes dois CIs estão juntas.
Eles são multiplexadores e possuem 7 entradas cada um. Cada entrada desta pega um degraus de tensão em uma rede resistiva.

Juntado os dois CIs forma uma rede resistiva de 8 resistores.

Quando dois Cis 4051 recebem o comando das 4 freqüências ( 60Hz, 120Hz, 240Hz e 480Hz.) os dois chaveiam em sua saída os degraus de tensão da rede resistiva de 8 resistores e forma-se a seguinte senoide;



Esta imagem acima é só para mostrar o processo.
A senoide do circuito é formada por exatamente 8 degraus para cada semi-ciclo da senoide.


Após esta senoide em degraus passar por um circuito integrador semelhante a este da foto:

a onda fica completamente senoidal, uma onda senoidal filtrada.

Parece um tanto complexo este oscilador mais isso é preciso.
Devido os multiplexadores formarem a senoide em degraus a partir de uma rede resistiva, basta você alterar a tensão da rede resistiva para controlar a tensão de saída.

É assim que funciona este equipamento da SMS e foi da placa dele que eu copiei este exelente oscilador senoidal srsrsrs.
http://www.sms.com.br/produtos/Nobreak-SMS/Sinus-Double-II-Black

A tensão de saída dele só altera no máximo +-1%, estando com potência máxima de saída ou não.

O inversor dele trabalha constantemente ligado, pegando tensão de 220V retificada e filtrada e transformado em AC novamente.

Apesar de estar escrito 10Kva ele só suporta no máximo 7000 watts.
Eu já coloquei isso ele ficou ligado 6 meses ininterruptos.
Foi preciso abrir o equipamento e direcionar o jato de ar condicionado portátil, pois o trafo ficava quente a ponto de sair cheiro de verniz rsrsrsr.

Seguem fotos internas:







A placa que lhe mostrei é do meu projeto e funciona baseada neste no-break SMS.

O circuito deste no-break trabalha alimentado em 308V DC.
Aceita até 354Vdac (+15%).
As baterias ficam ficam conectadas no mesmo barramento de 308V por meio de um diodo que evita da rede voltar para a bateria, mas permite que a bateria alimente o circuito quando a rede fica abaixo da tensão da bateria (São 16 baterias série = 192V).

Assim como trabalha com 308Vdc nominais e aceita até 354V, também continua operando normalmente até que a tensão fique menor que 160V Vdc no barramento.

Ou seja:
Este nobreak opera com 308VDC, aceitando acrescimo de mais 15% e decréscimo de 48% da tensão nominal.

A saída deste no-break é de 115Vac
Como eu disse anteriormente, a saída só altera +-1%, estando com carga máxima ou não rsrsrs.

Um daqueles trafos é do inversor. O outro só serve para o By-pass.
Como ele é alimentado em 220Vav e a saída é 115V, precisa de um outro trafo para fornecer esta tensão em modo By-pass, quando o no-break estiver desligado por algum defeito ou para manutenção.
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Dom 16 Mar 2014 - 13:17

Anderson M escreveu:Meu caro Albert, você iluminou meus pensamentos que estava no meio da escuridão, não com um forolete, e sim com um holofote kkkaaakkkk. Bom pena que este MCU que foi adotado por ser mais acessível no mercado e manjado possui apenas um módulo CCP1, caso tivesse o segundo módulo CCP2 seria mais econômico. Estava pensando em gerar o sinal triangular de 10 Khz portador no módulo CCP2, mas como não tem, paciência.

Conclusão:

Se houvesse dois módulos seria posível dois osciladores no próprio MCU.

Módulo CCP1 -> Sinal da moduladora senoidal (60 Hz).
Módulo CCP2 -> Sinal da portadora triangular (10 Khz)                     (comutação dos MOSFETS através dos drivers).  

Assim pegando o sinal moduladora senoidal (60 HZ) e portadora triangular (10 Khz) enviar ao modulador para mixar estes dois sinais é formar o PWM senoidal para comutação dos POWER MOSFETs através do estágio driver.

Diacho kkkaaakkkk, tenho que fazer um oscilador gerador do sinal triangular da portadora no modo analógico, o problema dos montadores do projeto será necessário ajuste manual da frequência de 10Khz no trimpot com auxílio de um frequêncímetro ou osciloscópio, estes instrumentos é algo raro na bancada, espero que pelo menos os amantes da eletrônica possa ter um multímetro com escala de frequência para o único ajuste necesssário do oscilador triangular que será o sinal da portadora.

Voltando, vou citar os circuitos que já temos testado e aprovado...

Sinal de referência senoidal
Gerador de sinal complementar
Tempo morto (Dead Time)

---------------------------------------------------

Falta apenas os circuitos do sinal da portadora e os moduladores...

Vou trabalhar esta semana neste circuitos...

Oscilador de onda triangular - Que será o sinal da portadora para ser enviado ao estágio modulador junto com o sinal senóide base do MCU.  

Vou utilizar o LM567 para criação do sinal da portadora triangular (10 Khz).

Circuito do modulador que será onde esta mágica irá acontecer, fazendo uma mescla dos sinais de referência senoidal puro como mel do MCU e também da portadora triangular, e assim criando o PWM senoidal nas suas saídas.  

Para o estágio do modulador vou utilizar o LM339, que serve para fazer dois moduladores no caso de utilização da técnica (modulação unipolar), isso em um único componente, mas só não estou gostando da ideia de utilizar uma alimentação simétrica por causa que o LM339 entrou na parada kkkaaakkkk. Haverá mudança na alimentação, ou seja, onde era um regulador 12V, agora serão reguladores 7815 e 7915 responsáveis pela alimentação do LM339 e HEF40106BP.

Aquele conversor DC - DC com LM555 fará o trabalho.

Voltando.... Depois do estágio modulador o sinal PWM senoidal segue ao estágio (gerador de sinal complemetar) para defasar os sinais, e também estimar um tempo morto (Dead Time) que é  necessário para garantir que os POWER MOSFETS não conduzem ao mesmo tempo criando situação de curto. O cara que realiza estas duas tarefas é o cujo intregrado HEF 40106BP como está no último esquema PDF postado.  

Caso o método adotado for modulação unipolar, temos que utilizar mais pinos tanto do LM339 como HEF40106BP para temos dois pares de saídas...  

Ah, os (A.O) LM 358N vão sair da jogada...

Obrigado pela participação e suporte...

Sds Anderson M

Eu tenho tenho um esquema da SMS também que posso mandar para você.
É o no-break senoidal uSS3000 BI.
Apesar de você poder achar este esquema na internet, o que vou lhe mandar é especial pois eu editei o esquema, colocando explicações das etapas do circuito.

Deixe um e-mail.
avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por albert_emule em Dom 16 Mar 2014 - 14:28

Além do mais eu também tenho o roteiro de funcionamento que mostra todas as formas de onda.

Tem uma coisa que vai complicar razoavelmente seu projeto rsrsrsrs.
Volte a ver aquele vídeo da UPS 2kVA e veja a tela do osciloscópio quando ele mostra o teste de malha fechada.

A onda triangular precisar estar sincronizada com a onda senoidal.
Só não sei se a fase zero da senoide precisa coincidir com um pico da triangular ou se precisa coincidir com a faze zero da onda triangular. (Com onda triangular simétrica, em relação ao zero volts).
Isso evita que ocorram pulsos muito estreitos e que gerem alguns harmônicos indesejáveis.

Observe que no vídeos a onda fundamental 60Hz está sincronizada com os pulsos PWM.
Não estão bamboleando em em relação ao outro.

avatar
albert_emule
Avançado
Avançado

Mensagens : 396
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 34
Localização : Salvador BA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por Anderson M em Seg 17 Mar 2014 - 14:30

albert_emule escreveu:Veja esta placa: http://imageshack.com/a/img5/8227/7cqj.png

Utiliza modulação unipolar
Possui um trimpot para ajuste de tensão de saída
Trimpot para ajuste de simetria DC no trafo.
trimpot para ajuste de freqüência de saída
E um trimpote para ajuste de sincronismo.

A placa tem um circuito PLL que sincroniza a senoide do oscilador local com a senoide da rede.

O oscilador local é uma obra de arte:
Um lm555 oscila a uns 20Khz e esta é dividida até se obter 60Hz, 120Hz, 240Hz e 480Hz.

Estas então vão para a porta de comando de dois CI 4051.

A saída destes dois CIs estão juntas.
Eles são multiplexadores e possuem 7 entradas cada um. Cada entrada desta pega um degraus de tensão em uma rede resistiva.

Juntado os dois CIs forma uma rede resistiva de 8 resistores.

Quando dois Cis 4051 recebem o comando das 4 freqüências ( 60Hz, 120Hz, 240Hz e 480Hz.) os dois chaveiam em sua saída os degraus de tensão da rede resistiva de 8 resistores e forma-se a seguinte senoide;



Esta imagem acima é só para mostrar o processo.
A senoide do circuito é formada por exatamente 8 degraus para cada semi-ciclo da senoide.


Após esta senoide em degraus passar por um circuito integrador semelhante a este da foto:

a onda fica completamente senoidal, uma onda senoidal filtrada.

Parece um tanto complexo este oscilador mais isso é preciso.
Devido os multiplexadores formarem a senoide em degraus a partir de uma rede resistiva, basta você alterar a tensão da rede resistiva para controlar a tensão de saída.

É assim que funciona este equipamento da SMS e foi da placa dele que eu copiei este exelente oscilador senoidal srsrsrs.
http://www.sms.com.br/produtos/Nobreak-SMS/Sinus-Double-II-Black

A tensão de saída dele só altera no máximo +-1%, estando com potência máxima de saída ou não.

O inversor dele trabalha constantemente ligado, pegando tensão de 220V retificada e filtrada e transformado em AC novamente.

Apesar de estar escrito 10Kva ele só suporta no máximo 7000 watts.
Eu já coloquei isso ele ficou ligado 6 meses ininterruptos.
Foi preciso abrir o equipamento e direcionar o jato de ar condicionado portátil, pois o trafo ficava quente a ponto de sair cheiro de verniz rsrsrsr.

Seguem fotos internas:







A placa que lhe mostrei é do meu projeto e funciona baseada neste no-break SMS.

O circuito deste no-break trabalha alimentado em 308V DC.
Aceita até 354Vdac (+15%).
As baterias ficam ficam conectadas no mesmo barramento de 308V por meio de um diodo que evita da rede voltar para a bateria, mas permite que a bateria alimente o circuito quando a rede fica abaixo da tensão da bateria (São 16 baterias série = 192V).

Assim como trabalha com 308Vdc nominais e aceita até 354V, também continua operando normalmente até que a tensão fique menor que 160V Vdc no barramento.

Ou seja:
Este nobreak opera com 308VDC, aceitando acrescimo de mais 15% e decréscimo de 48% da tensão nominal.

A saída deste no-break é de 115Vac
Como eu disse anteriormente, a saída só altera +-1%, estando com carga máxima ou não rsrsrs.

Um daqueles trafos é do inversor. O outro só serve para o By-pass.
Como ele é alimentado em 220Vav e a saída é 115V, precisa de um outro trafo para fornecer esta tensão em modo By-pass, quando o no-break estiver desligado por algum defeito ou para manutenção.


Albert, gostei do layout do seu projeto, fez um ótimo trabalho, muito bem dimensionado os componentes na placa. Qual é esta dimensão desta placa?

Grande LM 555, um C.I fantástico que é possível fazer inúmeros projetos, é bem bolado mesmo este oscilador, apenas achei meio complexo scratch 

Interessante este UPS, isso quer dizer que ele trabalha com tensão com onda senóide gerada nele próprio 24 Hs 7 dias por semana. Não é só o cheio de verniz não, vejo queimaduras no trafo por levar o bicho ao extremo kkkaaakkk.

albert_emule escreveu:Além do mais eu também tenho o roteiro de funcionamento que mostra todas as formas de onda.

Tem uma coisa que vai complicar razoavelmente seu projeto rsrsrsrs.
Volte a ver aquele vídeo da UPS 2kVA e veja a tela do osciloscópio quando ele mostra o teste de malha fechada.

A onda triangular precisar estar sincronizada com a onda senoidal.
Só não sei se a fase zero da senoide precisa coincidir com um pico da triangular ou se precisa coincidir com a faze zero da onda triangular. (Com onda triangular simétrica, em relação ao zero volts).
Isso evita que ocorram pulsos muito estreitos e que gerem alguns harmônicos indesejáveis.

Observe que no vídeos a onda fundamental 60Hz está sincronizada com os pulsos PWM.
Não estão bamboleando em em relação ao outro.  

Claro que sim, vou querer o material para estudo, vou enviar o email por MP (Mensagem Privada) do fórum, verifica lá depois.

Eu tinha observado este detalhe no vídeo, o que muda de forma constante é o cujo DUTY CYCLE conforme vai inserindo e retirando carga.
avatar
Anderson M
Avançado
Avançado

Mensagens : 401
Data de inscrição : 07/07/2011
Localização : São Paulo/SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Inversor 12 DCV - 120 ACV onda senoidal com PIC (Encerrado)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum